01 março 2010

Dorinda

Há nomes que condicionam toda uma vida. Há, por exemplo, os clássicos Amílcar Alho e o seu irmão Óscar Alho, Eva Gina ou o mais recente Jacinto Leite Capelo Rego, que são garantia de uma infância de bullying. Jéssica Carla rima, obviamente, com varão de inox. Maximiliana é uma viúva gorda, que já fez uma prótese na anca e é campeã de doenças do centro de saúde da Marmeleira. Alguém chamado Desidério dificilmente pode ambicionar algo mais que ser coveiro. Não há dúvidas que Gertrudes é uma velha solteirona que vive com os gatos. Barnabé é um tasqueiro solteirão, com unhaca e visitante frequente da Evangelina, a meretriz rançosa da aldeia, que avia camionistas como o Juvenal e o Timóteo.

Mas depois, depois há a Dorinda, que diz coisas destas...



E assim se prova que alguém chamada Dorinda está fadada a ser uma beata imbecil, néscia, ignara e idiota. E sim, sabemos que estamos a dizer um pleonasmo.

Com um agradecimento à Sôdona Rain por ter mostrado o vídeo.